terça-feira, 30 de junho de 2009

Patinação em gelo sintético garante diversão o ano todo


À esquerda, pista sintética do Snow Park Niagara Falls. À direita, pista no Sesc Pompéia (SP).



Não importa em qual estação do ano se esteja. Graças à tecnologia empregada no mundo do entretenimento, é possível patinar no gelo até sob 30 graus. Em pleno verão no Hemisfério Norte, pistas feitas a partir de gelo 'genérico' prolongam a prática do esporte de inverno.
No Brasil, o Ski Parque, em São Roque (SP), por exemplo, oferece uma pista com material similar ao empregado nos EUA, onde tais rinques de patinação são um febre. O gelo "plástico" tem lá suas vantagens. Reduz, e muito, os gastos de manutenção e de refrigeração imprescindíveis às pistas de gelo natural em estações que não o inverno.
Patinar sob o rinque sintético é menos complexo, uma vez que há atrito e o deslizamento é menor. Assim, para deslizar é preciso determinado impulso. As chances de queda são controláveis, garantem os entendidos.
O público que frequenta essas pistas, em geral, nem sempre é formado por adoradores do gelo ou principiantes que não conseguem ficar em pé sob gelo real. Muitos são profissionais, ligados a modalidades esportivas como o Hóquei. A pista artificial é montada por painéis plásticos encaixados que, só de longe, pode confundir os mais distraídos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário